Homens namorar mulheres mais altas

1. Gwendoline Christie . Embora não seja segredo que a intérprete do papel de Brienne de Tarth na série de grande sucesso Game of Thrones é uma mulher alta, o que poucos fãs sabem exatamente é quanto mede a atriz Gwendoline Christie (38).Enquanto seus colegas no set, Sophie Turner (1,75 m), Maisie Williams (1,55 m) e Rose Leslie (1,68 m) praticamente não se destacam em comparação com ... Muitas mulheres altas encontram dificuldade de encontrar parceiros justamente pela questão da altura, e não veem problema em se relacionar com homens mais baixos. Algumas delas até os preferem: e isso pode ser uma grande oportunidade para homens baixos que se garantem. Por outro lado, conheço outros que dizem se sentir atraídos por mulheres altas com coxas grossas e bumbum avantajado, pois passa uma imagem de mulherão. Tenho 1.80 e praticamente todos os homens que chegam em mim, mais tarde dizem ter sido atraído pelo meu porte físico. E não é por serem mais altas que os namorados que essas mulheres tentavam esconder sua altura: algumas usavam sapatilhas e rasteirinhas, mas outras estavam de salto mesmo. Sim, os caras altos chamam mais atenção. Por muitas vezes, as mulheres dão mais bola para um cara de 1,80m para cima do que para qualquer outro menor que isso que está dando bobeira na pista. Porém, muito cara baixinho também morre de medo de chegar em uma mulher mais alta. Muitos homens mais baixos têm que conquistar o medo de namorar mulheres que são mais altas que eles. Muitos homens podem achar mulheres altas mais imponentes – e mulheres baixas mais convidativas. Num relatório do Daily Mail, investigadores sugerem “mulheres baixas com pernas longas” são empiricamente o “tipo” mais atraente. Tenho 1.67, deixar de ficar/namorar mulheres mais altas limitaria muito minhas relações. Mas as mulheres mais altas geralmente não gostam de homens baixinhos ): 0 comentários curtir (0) 0 anônimo 14/09/2016 13h12. Sim 0 comentários curtir (0) 0 ... Mas mulheres mais altas (e homens mais baixos) também amam, gente! ... Com a altura quase equivalente, o contato entre você e seu boy sempre vai ser olho no olho! E namorar um homem baixinho também facilita na hora de 'alcançar' o rosto para beijinhos, carinhos e mimos. Own! Atualizado em 7 Mar 2019. Os pesquisadores constataram que 13,5% dos homens queriam namorar apenas mulheres mais baixas, enquanto 48,9% das mulheres queriam apenas homens mais altos do que elas. “A teoria da psicologia evolucionista argumenta que semelhança é a principal regra no acasalamento humano”, disse Michael Emerson, coautor do estudo. Casais de celebridades com mulheres mais altas - ... (e aos homens de pernas curtas) ... por isso é curioso que algumas pessoas ainda pensem que é estranho uma mulher namorar com um homem mais ...

Divisor de águas

2019.08.09 11:50 jwachowski Divisor de águas

Eu nunca acreditei muito nessas coisas esotéricas. Eu diria que sou agnóstico, para usar uma palavra que está em alta ultimamente. Meu negócio sempre foi a razão acima da emoção e todos aqueles clichês que ateuzinho de internet costuma falar. E como emoção e espiritualidade andam de mãos dadas eu acabei nunca dando muita atenção a esse aspecto da minha vida.
Na verdade, eu sempre procurei não discutir coisas que não tem como mudar. Coisas como o passado, religião, convicção política e futebol. Para que ficar esquentando a cabeça discutindo ou brigando se cada um só procura aquilo que acredita mesmo? Isso até eu conhecer Érica, minha atual namorada.
Eu acho que a Érica é a típica jovem mística daquelas que param no meio da estrada para tirar foto do pôr do sol, curte umas músicas estranhas e tem um monte de cristais e pedras espalhadas no quarto. No dia em que nos conhecemos numa festa da faculdade, ela pediu para ler minha mão e eu tenho que confessar que se não fosse ela, eu não deixaria e como um bom ateuzinho eu até desdenharia mas aqueles olhinhos brilhantes e aquele sorriso branco me pegaram de um jeito tão certo quanto o destino que ás vezes é o mesmo caminho que se escolhe trilhar. Tão certo quanto o dia que procede a noite trazendo consigo a deusa que nasce das brumas do mar.
Nessa leitura que ela fez da minha mão, ela me disse que o rio da minha vida teria um grande divisor de águas que iria mudar o modo como eu via a mundo. Só agora na hora de escrever é que lembro dessas palavras porque naquele momento eu só pensava mesmo era em tirar aquele batom escuro da boca dela com mil e um beijinhos. E para não perder a oportunidade eu soltei uma cantada dizendo que era ela meu divisor de águas, ou melhor, era ela meu máximo denominador comum. Nós ficamos naquela noite e um tempo depois começamos a namorar.
Agora que já falei sobre ela posso começar a contar porque escrevo esse relato hoje. Eu faço faculdade de Tecnologia da Informação e costumo voltar tarde da noite para casa. Nesse dia eu estava levemente cansado. Os vários copos de café não estavam mais surtindo efeito em meu organismo. E o pior foi meu professor que resolveu passar um desafio de última hora para turma: criar um bot em Python que respondesse automaticamente no mensageiro instantâneo e o primeiro que acabasse receberia como prêmio metade da média do semestre. Embora eu estivesse acabado pelo sono encarei sem medo o desafio.
Comecei a digitar loucamente e por um instante eu tive a impressão de que meus dedos se mexiam sozinhos. Tipo, já estava acostumado a digitar rápido pela prática mas isso foi um pouco diferente. Eu tive a impressão de não ser mais eu mas ao mesmo tempo era eu. Então por um outro momento eu vi apenas o monitor e tudo a minha volta meio que se escureceu. Eu via apenas os códigos a minha frente.
Quando voltei daquele pequeno transe eu tinha acabado de escrever o código e quando apertei o enter para testar o programa, o bot respondeu com a mensagem: “SIGA O COELHO BRANCO”. Apertei novamente o enter. E novamente “SIGA O COELHO BRANCO”. Que loucura era aquela? Eu tinha programado o bot apenas para responder olá mundo. O sono ou todo aquele café que eu tomei talvez tenha mexido com a com minha cabeça.
Ao sair da faculdade entrei no meu carro e segui em direção a casa da Érica como fazia algumas vezes por semana. Parei no primeiro sinaleiro e para minha surpresa quando olhei para o lado tinha um carro branco com sem ninguém dirigindo. De primeira, e depois do susto, eu pensei que poderia ser um teste de carro autônomo que andam fazendo por aí mas quando o sinal abriu e o carro passou na minha frente uma coisa me chamou a atenção. Tinha um adesivo de coelho branco no vidro escuro do carro. Quando vi esse adesivo me deu um estalo, algo que eu nunca tinha sentido. O sinal ficou verde e o ímpeto de seguir o coelho foi mais forte.
Enquanto seguia o carro eu pensava na loucura que eu estava fazendo. Mas eu já não estava mais em mim. Segui aquele carro até entrar numa rua sem saída. O carro branco então parou no final dela. Também parei o meu lado do carro sem motorista. Quando olhei pelo retrovisor, óbvio que tinha dado merda, um carro preto tinha acabado de parar na entrada da rua. Agora fodeu. Eu vou ser sequestrado. Pensei de dentro do carro.
Nesse mesmo momento meu celular toca, então olho para a tela e vejo: NÚMERO DESCONHECIDO. O telefone se auto atende com o viva voz ligado. Uma voz de mulher diz. “Não saia do carro”. Nisso dois homens de preto saíram do carro preto que fechava a saída.
O telefone se emudeceu e logo em seguida o carro branco acelerou de ré indo em direção ao carro preto. Ouvi o estrondo alto da colisão e a rua ficando limpa. “AGORA SAIA! DEPRESSA!” A voz no celular falou comigo novamente. Engatei a primeira marcha, dei a volta na rua e acelerei para cima dos dois homens de preto que estavam no meio da rua. Enquanto virava pela primeira esquina que me apareceu, deu para ver os dois carros quase que fundidos pelo impacto que o coelho branco deu para afastar o carro da saída daquela rua.
Fui direto para a casa da Érica. Chegando lá, abro a porta da sala. Tudo escuro. Acendo a luz e vou direto ao quarto dela. Quando abro a porta, o quarto estava iluminado por algumas velas e Érica estava com os olhos abertos e estáticos sentada em posição de meditação. Ao me ver, ela se levanta e vai até a escrivaninha, pega um lápis e papel, rascunha alguma coisa muito rapidamente e me entrega voltando ao para o mesmo lugar que estava meditando. Eu saí do quarto para ver melhor o que ela tinha escrito e quando olho para o bilhete, uma linha de código em Python. A mesma linguagem de programação que eu usei para escrever o bot durante a aula.
Sentei no sofá da sala e liguei meu notebook. Abri código fonte do programa e inseri a linha de comando que eu tinha acabado de receber. Passei o aplicativo para o celular, instalei e abri a interface do mensageiro instantâneo. Digitei “Olá Mundo” para testar e enviei a mensagem em seguida. E o que deveria ser um bot me respondeu:
— Olá, meu nome é Samantha. E eu vim dividir o rio da sua vida.
Texto no Medium
submitted by jwachowski to rapidinhapoetica [link] [comments]


2019.08.09 11:50 jwachowski Divisor de águas

Eu nunca acreditei muito nessas coisas esotéricas. Eu diria que sou agnóstico, para usar uma palavra que está em alta ultimamente. Meu negócio sempre foi a razão acima da emoção e todos aqueles clichês que ateuzinho de internet costuma falar. E como emoção e espiritualidade andam de mãos dadas eu acabei nunca dando muita atenção a esse aspecto da minha vida.
Na verdade, eu sempre procurei não discutir coisas que não tem como mudar. Coisas como o passado, religião, convicção política e futebol. Para que ficar esquentando a cabeça discutindo ou brigando se cada um só procura aquilo que acredita mesmo? Isso até eu conhecer Érica, minha atual namorada.
Eu acho que a Érica é a típica jovem mística daquelas que param no meio da estrada para tirar foto do pôr do sol, curte umas músicas estranhas e tem um monte de cristais e pedras espalhadas no quarto. No dia em que nos conhecemos numa festa da faculdade, ela pediu para ler minha mão e eu tenho que confessar que se não fosse ela, eu não deixaria e como um bom ateuzinho eu até desdenharia mas aqueles olhinhos brilhantes e aquele sorriso branco me pegaram de um jeito tão certo quanto o destino que ás vezes é o mesmo caminho que se escolhe trilhar. Tão certo quanto o dia que procede a noite trazendo consigo a deusa que nasce das brumas do mar.
Nessa leitura que ela fez da minha mão, ela me disse que o rio da minha vida teria um grande divisor de águas que iria mudar o modo como eu via a mundo. Só agora na hora de escrever é que lembro dessas palavras porque naquele momento eu só pensava mesmo era em tirar aquele batom escuro da boca dela com mil e um beijinhos. E para não perder a oportunidade eu soltei uma cantada dizendo que era ela meu divisor de águas, ou melhor, era ela meu máximo denominador comum. Nós ficamos naquela noite e um tempo depois começamos a namorar.
Agora que já falei sobre ela posso começar a contar porque escrevo esse relato hoje. Eu faço faculdade de Tecnologia da Informação e costumo voltar tarde da noite para casa. Nesse dia eu estava levemente cansado. Os vários copos de café não estavam mais surtindo efeito em meu organismo. E o pior foi meu professor que resolveu passar um desafio de última hora para turma: criar um bot em Python que respondesse automaticamente no mensageiro instantâneo e o primeiro que acabasse receberia como prêmio metade da média do semestre. Embora eu estivesse acabado pelo sono encarei sem medo o desafio.
Comecei a digitar loucamente e por um instante eu tive a impressão de que meus dedos se mexiam sozinhos. Tipo, já estava acostumado a digitar rápido pela prática mas isso foi um pouco diferente. Eu tive a impressão de não ser mais eu mas ao mesmo tempo era eu. Então por um outro momento eu vi apenas o monitor e tudo a minha volta meio que se escureceu. Eu via apenas os códigos a minha frente.
Quando voltei daquele pequeno transe eu tinha acabado de escrever o código e quando apertei o enter para testar o programa, o bot respondeu com a mensagem: “SIGA O COELHO BRANCO”. Apertei novamente o enter. E novamente “SIGA O COELHO BRANCO”. Que loucura era aquela? Eu tinha programado o bot apenas para responder olá mundo. O sono ou todo aquele café que eu tomei talvez tenha mexido com a com minha cabeça.
Ao sair da faculdade entrei no meu carro e segui em direção a casa da Érica como fazia algumas vezes por semana. Parei no primeiro sinaleiro e para minha surpresa quando olhei para o lado tinha um carro branco com sem ninguém dirigindo. De primeira, e depois do susto, eu pensei que poderia ser um teste de carro autônomo que andam fazendo por aí mas quando o sinal abriu e o carro passou na minha frente uma coisa me chamou a atenção. Tinha um adesivo de coelho branco no vidro escuro do carro. Quando vi esse adesivo me deu um estalo, algo que eu nunca tinha sentido. O sinal ficou verde e o ímpeto de seguir o coelho foi mais forte.
Enquanto seguia o carro eu pensava na loucura que eu estava fazendo. Mas eu já não estava mais em mim. Segui aquele carro até entrar numa rua sem saída. O carro branco então parou no final dela. Também parei o meu lado do carro sem motorista. Quando olhei pelo retrovisor, óbvio que tinha dado merda, um carro preto tinha acabado de parar na entrada da rua. Agora fodeu. Eu vou ser sequestrado. Pensei de dentro do carro.
Nesse mesmo momento meu celular toca, então olho para a tela e vejo: NÚMERO DESCONHECIDO. O telefone se auto atende com o viva voz ligado. Uma voz de mulher diz. “Não saia do carro”. Nisso dois homens de preto saíram do carro preto que fechava a saída.
O telefone se emudeceu e logo em seguida o carro branco acelerou de ré indo em direção ao carro preto. Ouvi o estrondo alto da colisão e a rua ficando limpa. “AGORA SAIA! DEPRESSA!” A voz no celular falou comigo novamente. Engatei a primeira marcha, dei a volta na rua e acelerei para cima dos dois homens de preto que estavam no meio da rua. Enquanto virava pela primeira esquina que me apareceu, deu para ver os dois carros quase que fundidos pelo impacto que o coelho branco deu para afastar o carro da saída daquela rua.
Fui direto para a casa da Érica. Chegando lá, abro a porta da sala. Tudo escuro. Acendo a luz e vou direto ao quarto dela. Quando abro a porta, o quarto estava iluminado por algumas velas e Érica estava com os olhos abertos e estáticos sentada em posição de meditação. Ao me ver, ela se levanta e vai até a escrivaninha, pega um lápis e papel, rascunha alguma coisa muito rapidamente e me entrega voltando ao para o mesmo lugar que estava meditando. Eu saí do quarto para ver melhor o que ela tinha escrito e quando olho para o bilhete, uma linha de código em Python. A mesma linguagem de programação que eu usei para escrever o bot durante a aula.
Sentei no sofá da sala e liguei meu notebook. Abri código fonte do programa e inseri a linha de comando que eu tinha acabado de receber. Passei o aplicativo para o celular, instalei e abri a interface do mensageiro instantâneo. Digitei “Olá Mundo” para testar e enviei a mensagem em seguida. E o que deveria ser um bot me respondeu:
— Olá, meu nome é Samantha. E eu vim dividir o rio da sua vida.
Texto no Medium
submitted by jwachowski to EscritoresBrasil [link] [comments]


2019.06.08 02:35 VanAntonietti Mais um de relacionamento.

Primeiramente, é muito bom ter um sub com esse propósito já que não tenho ninguém para desabafar, pois sou uma pessoa muito fechada.


Conheci a mulher da minha vida em 2009, dia 20 de junho agora faz 10 anos que nos conhecemos, e não teve um dia no qual não pensei nela, ela por ser uma garota religiosa e ter altas exigências para relacionamento me deixou esperando uns 5 anos antes de termos qualquer tipo de relacionamento, nesses 5 anos eu deixei de ficar com várias pessoas, deixei de viajar para lugares com meus amigos e de sair para me divertir e beber, tudo que eu queria era esse relacionamento e finalmente consegui depois de dar um basta em tanto sofrimento resolvi frequentar a igreja pentecostal que ela frequentava e devo admitir que não foi fácil abandonar tudo que eu era para praticar essa nova rotina, não foi fácil principalmente por eu ser ateu desde que me entendo por gente, estudei em escola católica e sempre enfrentei grandes coisas por causa da minha posição em relação a religião.


Quando começamos a namorar em 2014, foi muito bom, uma explosão de felicidade que eu tenho a absoluta certeza que eu jamais sentirei novamente, e eu claramente acreditava que aguentaria a religião em troca dessa felicidade, o tempo foi passando e a lua de mel acabou, minha ex sogra era 10 vezes mais exigente e acabou por colocar nós sob pressão por um grande período do relacionamento. Esse desgaste foi determinante para o termino do relacionamento, eu estava abrindo minha empresa, tinha reprovado na faculdade e passava por dificuldades financeiras, juntando tudo isso mais a perda da minha avó eu entrei em colapso. De fato eu sou da opinião que temos que estar preparados para a morte, o problema é que os pais dela detestavam atraso e eu estava sendo muito criticado, em um almoço de domingo na casa da minha avó, eu estava atrasado para ir para a casa dela e minha avó tinha me sujado com molho de tomate, e eu ia ter que trocar de roupa e me atrasar mais, fui estupidamente grosso com minha avó, e geralmente eu não sou assim, todos na mesa ficaram surpresos e minha avó também, sai bravo para casa para trocar de roupa... Minha avó morreu na quarta feira daquela mesma semana, erros que cometemos na vida que temos que conviver, não é mesmo? Minha ex nunca soube desse incidente antes da morte e esse foi o motivo de eu ter ficado tão deprimido aquela época, não entendendo isso ela acabou por querer atenção no meu momento de luto e isso levou ao termino do nosso relacionamento.


Fazem 4 anos, ela já namora outra pessoa, a vida seguiu, mesmo assim, eu me sinto mal, não sei por qual motivo. Eu me sinto mal de sonhar com minha ex umas 4 vezes por semana, e minha cabeça ficar mais nisso, isso me levou a me isolar ainda muito, faz muito tempo que eu quero contar pra alguém e não consigo, me sinto envergonhado depois de tudo que aconteceu eu ainda amá-la dessa forma avassaladora, eu ainda acho que ela me ama, mas são só sinais e posso estar errado, ela fez aniversário terça-feira e estou sonhando e pensando nela mais do que o normal e hoje eu simplesmente não aguentei, eu precisava desabafar de alguma forma. O sonho dessa noite, nossa, foi tão forte, eu encontrei ela na estação de trem e abracei-a tão forte, era como se fosse real, mas infelizmente nossa oportunidade morreu e nós morremos juntos com ela, ambos mortos e ela só existe agora nos meus sonhos.


Simplesmente não consigo seguir em frente, estou ficando com uma menina que é super virtuosa, sou muito honrado e tenho medo de namorar essa menina e nunca conseguir me entregar de corpo e alma, estou estagnado, sozinho e me sinto culpado por ainda amar essa pessoa. Antes de morrer escreverei um livro sobre todo o amor que eu sinto por ela, poderia escrever sobre ela durante horas, acredito que poucos homens amaram uma mulher com a mesma intensidade e sacrifício que eu amei essa mulher, tive que morrer várias vezes por dentro, esconder minha verdadeira orientação religiosa, foi muito difícil, e as marcas que ficaram foram enormes, hoje tenho dinheiro e uma vida que muitas pessoas gostariam de ter, já me relacionei com mulheres incríveis e interessantes que seriam ótimas parceiras, mães, namoradas e esposas. Mas absolutamente nada do que eu conquistei, ninguém, vai conseguir preencher o vazio que ela deixou. Infelizmente. Peço desculpas pelo grande texto, agradeço esse espaço e espero que tenham paciência para ler esse textão, eu ainda fui breve. Me comprometo também a ler mais desabafos desse sub e ajudar as pessoas que precisam de um ombro amigo nessas horas. Obrigado.
submitted by VanAntonietti to desabafos [link] [comments]


ELE É BAIXINHO, E AGORA?! POR QUE OS HOMENS PREFEREM MULHERES MAIS VELHAS? - YouTube Homens baixos e mulheres altas: tamanho é documento? - YouTube MULHERES ALTAS - Parte 01 #PapoReto01 MULHERES ALTAS COISAS ATRAENTES NAS MULHERES ALTAS !!! POR QUE ELAS PREFEREM HOMENS MAIS VELHOS? - YouTube HOMENS PREFEREM MULHERES MAIS VELHAS FátimaBernardes ... SOU MAIS ALTA QUE MEU NAMORADO  NATALI BALDONI

10 coisas que só quem namora (ou já namorou) um cara mais ...

  1. ELE É BAIXINHO, E AGORA?!
  2. POR QUE OS HOMENS PREFEREM MULHERES MAIS VELHAS? - YouTube
  3. Homens baixos e mulheres altas: tamanho é documento? - YouTube
  4. MULHERES ALTAS - Parte 01 #PapoReto01
  5. MULHERES ALTAS
  6. COISAS ATRAENTES NAS MULHERES ALTAS !!!
  7. POR QUE ELAS PREFEREM HOMENS MAIS VELHOS? - YouTube
  8. HOMENS PREFEREM MULHERES MAIS VELHAS FátimaBernardes ...
  9. SOU MAIS ALTA QUE MEU NAMORADO NATALI BALDONI

DICAS PARA MULHERES ALTAS - COMO PARECER MAIS BAIXA - Duration: 9:12. Keila Grotto 23,989 views. 9:12. ESPECIAL MULHERES ALTAS! Truques para achatar a silhueta e combinações - Duration: 11:32. Você que, assim como eu, é mais alta do que a maioria das mulheres? Se incomoda se o seu namorado for mais baixo que você? Ou não liga? Vem assistir esse vídeo e me diz sua opinião! sz ... O vídeo hoje tá mais sério: homens baixos e mulheres altas – até que ponto isso realmente importa?! Facebook: https: ... NAMORAR HOMENS MAIS VELHOS Feat. Dora FIgueiredo - Duration: 13:32. Caroline Araújo 196,089 views. 13:32. Os homens preferem as mulheres mais velhas? Se você perguntar para Fatima Bernardes, Ana Maria Braga, Susana Vieira, Ivete Sangalo, ou Luana Piovani, a respo... 5 coisas que toda mulher alta passa manu fernandes - duration: ... sou mais alta que meu namorado ... homem tem medo de mulher alta? ... coisas atraentes nas mulheres altas !!! coisas atraentes nas mulheres altas !!! ... coisas que todo homem gosta de ouvir na hora h - duration: 10:02. ficanavibe 470,031 views. VEM ME ACOMPANHAR: https://www.instagram.com/thatamnz - Eu vim te contar porque mulher prefere homem mais velho. Você acha mesmo que as mulheres preferem os ... '8 COISAS QUE MAIS DEIXAM OS HOMENS COM CIÚMES' - Duration: 9:20. Fred Elboni 817,538 views. ... 5 COISAS QUE TODA MULHER ALTA PASSA Manu Fernandes - Duration: 4:50. Manu Fernandes 210,782 ... Neste vídeo falo por que alguns homens preferem mulheres mais velhas Link para o livro Decifrando a mente masculina: https://go.hotmart.com/W5308885V Link pa...